twenty one pilots na Rolling Stones Austrália – parte 2
Compartilhe esta notí­cia:
Compartilhe:

A revista Rolling Stones Austrália fez uma matéria sobre o crescimento do twenty one pilots no último ano. Você confere aqui a segunda parte traduzida desta matéria e neste post a primeira parte, que fala sobre a preparação da banda para o programa “Tonight Show Starring Jimmy Fallon”.

O nome twenty one pilots é também uma filosofia de Joseph e Dun. O nome veio de uma peça de Arthur Miller, chamada “Todos os meus filhos” que Joseph estava lendo na escola, a Ohio State, que falava sobre um empreiteiro de guerra que conscientemente enviava peças de avião que continham defeito para a Europa, durante a II Guerra Mundial. Com medo de que ele fosse perder dinheiro se confessasse seu erro, sua decisão resultou na morte de 21 pilotos de avião. Isso ressoou para Joseph, que se recusou a aceitar uma bolsa de basquete da Universidade de Otterbein para se concentrar na música. “Eu poderia relacionar com o fato de que tomar a decisão certa na vida às vezes dá mais trabalho”, diz Joseph. “É preciso mais tempo e pode parecer que você está indo para trás.”

Quando o duo tornou-se mais popular, eles rejeitaram ofertas de gravadoras mesmo com bônus de contrato. Joseph e Dun foram seus próprios roadies antes de estarem com shows esgotados em grandes lugares, e se recusaram a trocar sua van por um ônibus de turismo. Mais recentemente, eles tem negado ofertas significativas de patrocínio para o sua tour de 2016.

Joseph e Dun foram ambos criados em famílias conservadoras e religiosas. O pai de Joseph era o diretor de uma escola cristã que Tyler frequentava. Antes disso, ele era educado em casa por sua mãe. “Eu disse a ela que queria ser um jogador de basquete, e ela me fazia fazer 500 arremessos todo dia no quintal”, diz ele. “Se eu chegava mais perto da cesta e fazia arremessos, ela não os contava. Ela batia na janela de trás perto da cozinha e apontava para a linha de três pontos. Eu tinha que resolver isso antes do jantar, e se eu não fazia, eu não tinha permissão para comer.”

As coisas foram ainda mais rigorosos na casa dos Dun. Videogames e a maioria dos álbuns de rock ou hip-hop eram proibidos. “Eu escondia álbuns como Dookie do Green Day debaixo da minha cama”, diz Dun. “Às vezes eles os encontravam e ficavam muito brabos. Eles encontraram uma alternativa cristã, como Relient K, e me fizeram ouvir isso.” Por um tempo, os únicos filmes permitidos na casa vinha da CleanFlicks, uma empresa cristã que pegava filmes de Hollywood e editava, cortando tudo que era profano, sexual e violento. Para um jovem Dun, assistir a filmes como “O Exterminador do Futuro” foi bastante complicado. “Algumas cenas eram removidas inteiramente”, diz ele. “Assistir os filmes foi uma experiência absolutamente horrível.”

Quando ele era um adolescente, Dun começou a se rebelar. “Eu só tinha essa agressão”, diz ele, que seus pais quase o expulsaram quando ele tinha 14. “Eles quase me mandaram para uma escola militar. Eles não sabiam o que fazer comigo, e eu estava sempre em detenção. Eu nunca me envolvi com drogas ou álcool, mas eu gostaria de gritar com os meus pais e apenas tratá-los terrivelmente. Tudo se transformava em discussão. Olhando para trás, eles estavam dando o seu melhor.”

Quando seus pais iam dormir, ele ouvia muito alto seus CDs de punk-pop. Eventualmente, eles levemente se abriram para o rock, o que lhe permitiu montar um kit de bateria, peça por peça no porão com seu próprio dinheiro. Ele não foi para a faculdade, mudou-se com um grupo de amigos, e começou a tocar em bandas locais, ao mesmo tempo que se esforçava trabalhando no departamento de baterias do Guitar Center. “Eu não estava indo a lugar nenhum”, diz ele. “Um dia eu disse para o meu pai, ‘Você está decepcionado que eu estou trabalhando em um emprego de salário mínimo e por não ir para a faculdade?’. Eu nunca vou esquecer a sua resposta. Ele disse: ‘Não é sobre quanto dinheiro você faz ou o que seu trabalho é, mas é mais sobre você. Por isso, eu estou orgulhoso’. Isso me deu motivação”, termina Dun.


Comentários

24/08/2017 Chris Salih, baterista original do twenty one pilots, fala sobre motivo de sua saída em 2011 Chris Salih, baterista e membro fundador original do twenty one pilots, foi o convidado especial do podcast Christopher...

17/08/2017 Vídeo mostra melhores momentos vocais de Tyler Joseph ao vivo A Alternative Press divulgou em seu site um vídeo em que constam os melhores momentos vocais de Tyler, com direito a...

26/07/2017 twenty one pilots aparece em lista dos 75 momentos mais marcantes da música no Século 21 A Billboard listou os 75 momentos da música que marcaram a década até agora e o twenty one pilots marcou presença por lá....

19/07/2017 Josh agradece prêmio no APMAs e dá suposta dica sobre Tyler Nesta segunda-feira rolou o APMAs, premiação comandada pela Alternative Press e que dá destaque à bandas do gênero...

29/06/2017 twenty one pilots aparece em lista de bandas que “não precisam de palco” A AltPress listou 8 vezes em que bandas literalmente não precisam de um palco para fazer um show. Dentre elas, o twenty one...

28/06/2017 Comentário da banda Smash Mouth incomoda fãs de twenty one pilots Um recente comentário no Twitter oficial da banda Smash Mouth causou desconforto entre os fãs de twenty one pilots. Uma...

JOSH DUN / baterista
@joshuadun
TYLER JOSEPH / vocalista
@tylerrjoseph

Instagram